Imprensa

Share page on

Mulheres ganham espaço nas minas da Anglo American

Uma das três unidades de negócio da empresa no Brasil já possui 36% de trabalhadoras e contratará mais 300 até o final de 2013

A presença das mulheres no setor de mineração ainda é tímida no Brasil, mas devido a políticas de recursos humanos com foco na atração e retenção de trabalhadoras, esse cenário tem se alterado de forma significativa. A Unidade de Negócio Minério de Ferro Brasil da Anglo American já conta com 36% de trabalhadoras, superando a meta mundial de empregabilidade de mão de obra feminina da empresa para 2012, que é de 25%. Atualmente, 14% da folha de empregados da Anglo American no mundo – composta por aproximadamente 107 mil - é composta por mulheres.

Apenas para a fase de operação do Projeto Minas-Rio, o empreendimento global mais importante da Anglo American e que atualmente encontra-se em fase de obras em Minas Gerais e no Rio de Janeiro, a Unidade de Negócio Minério de Ferro Brasil contratará aproximadamente trezentas profissionais até o final de 2013. “Um dos nossos principais objetivos para 2012, e maiores desafios, é mapear, atrair e manter essa mão de obra feminina. Para todas as vagas, independentemente da área, temos como política a seleção de currículos de mulheres. Nós, inclusive, preferimos a mão de obra feminina para cargos como o de operador de usina de beneficiamento e soldador de instalações industriais. Elas têm mais habilidades manuais e uma atenção mais concentrada do que a dos homens”, ressalta a gerente de Recursos Humanos e Administrativo da Pré-Operação do Projeto Minas-Rio, Claudiana Silva.

Para a fase operacional do Minas-Rio, as mulheres terão a chance de se candidatar a vagas para técnicos, operadores, engenheiros e geólogos assim como para as áreas de planejamento, manutenção de mina e usina, gestão ambiental, gestão de processos, gestão de projetos, infraestrutura, segurança empresarial, saúde ocupacional e meio ambiente. As interessadas devem se cadastrar pelo site da empresa, www.angloamerican.com.br, por meio do link Carreiras.

Contratada há quatro anos para trabalhar no empreendimento, a hidrogeóloga Ana Katiuscia Souza, 36, que coordena uma equipe de sete homens e já esteve em minas de fostato, cálcio e ouro, defende a presença feminina na mineração e afirma que nunca sofreu preconceito por estar em um ambiente predominantemente masculino. “Sou apaixonada pela minha profissão e não vejo diferença entre homens e mulheres no que concerne à competência nesse ramo. Além disso, também acho que a vocação é essencial e tudo depende da sua postura no ambiente de trabalho. Os homens da minha equipe não reclamam”, afirma.

Ana Katiuscia conta que não perdeu a feminilidade por trabalhar no setor, mas que é impossível não perder um pouco da vaidade dada a natureza do trabalho. “O maior desafio, na verdade, é a exposição às intempéries do campo, mas você acaba se acostumando e é uma parte também muito interessante e presente na minha profissão”, ressalta.

A técnica em mineração Verlaine Santos, 25, que coordena uma equipe formada por quatro homens e trabalha na planta-piloto do Projeto Minas-Rio, no município mineiro de Conceição do Mato Dentro, diz que não sofre nenhum tipo de rejeição ou preconceito por trabalhar no setor, ser mulher e jovem. “Sou responsável pela análise dos dados da sondagem do minério de ferro feita em campo e trabalho como técnica há quatro anos. O que vejo é que atualmente existe uma grande aceitação da sociedade em relação à presença feminina na mineração. O que às vezes ainda acontece é que algumas pessoas acham que somos mais frágeis, ou que não daremos conta do trabalho por sermos mulheres, mas são poucos. No entanto, não me importo com isso. Pretendo continuar com meus estudos e me tornar uma engenheira de minas“, explica.

1, 2 mil vagas e cursos do Senai
A Anglo American irá contratar 1,2 mil profissionais – sendo que 300 serão mulheres - para atuar na fase de operação do Projeto Minas-Rio, a partir do segundo semestre de 2013. As pessoas que não possuem experiência no setor de mineração, ao invés de se cadastrarem pelo site da empresa, www.angloamerican.com.br, devem se inscrever em um dos cursos profissionalizantes que serão oferecidos pela Anglo American em Conceição do Mato Dentro, município mineiro onde se encontra a mina de minério de ferro do empreendimento.

Como parte de seu Programa de Priorização de Mão de Obra Local, a empresa irá oferecer os cursos, a partir de maio, em parceria com o Senai de Conceição de Mato Dentro, a prefeitura municipal e Mitra Diocesana de Guanhães. Serão, ao todo, 455 vagas para os cursos de operador de equipamento de mina, mecânico de equipamento de mina, operador de planta de beneficiamento, mecânico de instalações industriais, eletricista de planta de beneficiamento e mineroduto e soldador de instalações industriais.

As inscrições estarão abertas entre o período de 14 a 23 de março e só podem ser feitas nos municípios de Conceição do Mato Dentro, Alvorada de Minas e Dom Joaquim. Os 1,2 mil empregados serão lotados em Belo Horizonte, Conceição do Mato Dentro (MG), Alvorada de Minas (MG), Santo Antônio do Grama (MG), Tombos (MG) e São João da Barra (RJ).

Programação dos cursos do Senai em Conceição do Mato Dentro

Curso

Duração

Número de vagas

Datas de início das turmas

Operador de equipamento de mina

4 meses

153

Outubro – 2012
Fevereiro – 2013
Maio – 2013
Agosto - 2013

Mecânico de equipamento de mina

5 meses

65

Maio – 2012
Setembro – 2012
Outubro – 2013

Operador de planta de beneficiamento

5 meses

76

Maio – 2012
Setembro – 2012

Mecânico de instalações industriais

6 meses

88

Maio – 2012

Eletricista de planta de beneficiamento e mineroduto

6 meses

34

Maio – 2012

Soldador de instalações industriais

6 meses

39

Maio – 2012