Imprensa

Share page on

Projeto Minas-Rio da Anglo American contabiliza 53% de avanço físico

Primeiro embarque está previsto para o segundo semestre de 2013

O Projeto Minas-Rio já conta com 53% de avanço físico (engenharia, suprimentos e obras). Em termos de obras, 44% do total já foi executado. Na planta de beneficiamento, o registro é de avanço de 15% das obras civis. No mineroduto, 25% da obra linear estão finalizadas. A planta de filtragem, na área do Porto, acumula 70% de obras civis executadas e o terminal de minério do Porto conta com 65% dos trabalhos concluídos. Nove mil e quinhentos trabalhadores atuam nas obras do projeto, entre Minas Gerais e Rio de Janeiro.

A obtenção da licença de instalação parte 2 (LI parte 2) da usina de beneficiamento e da barragem de rejeitos ocorrida em dezembro de 2010 permitiu o início das obras civis da planta de beneficiamento e da construção da barragem de rejeitos em março de 2011, após o período chuvoso. Esta licença foi obtida logo após a obtenção da Portaria de Lavra, concedida em agosto de 2010 pelo DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral).

No primeiro semestre, a empresa obteve a servidão minerária na área da mina, concedida pelo DNPM. Obteve progressos nos acessos de terras e na aquisição de áreas do beneficiamento. A Anglo American continua trabalhando com as autoridades estaduais e federais para a obtenção de outras licenças ambientais secundárias. A previsão do primeiro embarque é para o segundo semestre de 2013. 

 

Beneficiamento e Mina


Um total de 15% das obras civis já foi concluído, tendo sido feita a parte dos prédios e das instalações, entre outros pontos do projeto. A subestação principal tem 30% das obras concluídas.

A terraplenagem das instalações industriais está adiantada, tendo sido executados cerca de 73% do total, ou um volume de mais de 5 milhões de m³. Esta etapa da obra tem previsão de ser concluída no início do segundo trimestre de 2012.

Já foram iniciadas as obras da barragem de rejeitos. A área do barramento está em fase de preparação. A expectativa é que a obra da barragem chegue ao seu final no segundo trimestre de 2012.

A abertura da mina está planejada para ocorrer em 2012.

 

Mineroduto
 
Um total de 131 quilômetros (25%) dos 525 totais do mineroduto já está pronto, com a montagem, soldagem e abaixamento da tubulação. As obras de terraplenagem acumulam um volume de cerca de 8 milhões de m³.

Com relação às obras especiais, que correspondem aos túneis e furos direcionais, já foram concluídos três dos sete furos direcionais previstos (aproximadamente 3.800m): um no Rio Carangola (395m), um no Rio Piedade de Ponte Nova (320m) e outro no Rio Paraíba do Sul, com extensão de 1.456m, sendo essa última a maior obra desse gênero já executada na América Latina. O furo direcional sob a MG 329 está em execução.

Dos seis túneis previstos (aproximadamente 3.200m), já foram concluídas as obras de dois túneis, Carangola-Faria Lemos e Tombos B, sendo que o último é o de maior extensão de todo projeto, com 622 metros. Os túneis Tombos C (610m) e São Domingos do Prata (388m) estão em execução. Os demais estão em fase de licitação. 

Ainda na abrangência do mineroduto, encontram-se as Estações de Bombas (EB) 1 e 2 e a Estação de Válvulas. As obras civis da EB2, localizada em Santo Antônio do Grama (MG), já foram concluídas e está sendo iniciada a montagem eletromecânica. Na EB1, em Conceição do Mato Dentro (MG), as obras civis estão em fase final e na Estação de Válvulas, localizada em Tombos (MG), as obras civis estão em andamento.


Porto do Açu 

O terminal de minério de ferro do Porto do Açu, no qual a Anglo American é parceira da LLX com 49% de participação, as obras marítimas (offshore) da ponte de acesso (3100m) já estão concluídas e o píer de minério de ferro (440m) está em fase final de conclusão. O quebra mar para a proteção das operações portuárias está em fase de início de construção.

Na parte onshore (obras na terra), a Anglo American está trabalhando na construção do pátio de estocagem do minério de ferro (com capacidade de armazenar 2 milhões de toneladas) e toda a estrutura administrativa. As obras estão dentro do cronograma.

A planta de filtragem, localizada no Porto do Açu, está com cerca de 70% das obras civis concluídas. Após essa etapa, será iniciada a montagem da filtragem.

“O Projeto Minas-Rio entrou em uma fase de rápida evolução. Os próximos meses serão de intensas transformações com a conclusão de partes importantes como as obras no Porto. Do total de US$ 5 bilhões a serem investidos em toda a implantação, a Anglo American já aplicou 49%”, ressalta o presidente da Unidade de Negócio Minério de Ferro Brasil da Anglo American, Stephan Weber.


Anglo American registra crescimento global de 45% no 1º semestre


A Anglo American anunciou o Balanço Financeiro Semestral. Até o dia 30 de junho, a Anglo American registrou um crescimento de 45%, registrando um lucro operacional de US$ 5,9 bilhões. Os dividendos também registraram aumento de 12%, com valores de US$ 0,28 por ação.

Segundo a presidente global, Cynthia Carroll, a performance financeira da Anglo American nos primeiros seis meses do ano é reflexo das bases operacional e de negócios aplicadas há três anos pela empresa, que se beneficiou do crescimento dos preços das commodities no mercado mundial.

No Brasil, a operação de minério de ferro do Sistema Amapá contribuiu com lucro operacional de US$ 45 milhões. O Sistema registrou crescimento de 26% na produção em relação ao mesmo período de 2010, totalizando 2,33 milhões de toneladas de minério de ferro no período. A meta para este ano é produzir 4,5 milhões de toneladas de minério de ferro.

 

Sobre o Projeto Minas-Rio 

Principal projeto mundial da Anglo American no mundo, o Minas-Rio está em fase de licenciamento ambiental e implantação. A empresa investe cerca de US$ 5 bilhões para atingir a capacidade de produção de 26,5 milhões de toneladas anuais de minério de ferro e abastecer o mercado externo a partir de 2013.

O Minas-Rio inclui uma mina de minério de ferro e unidade de beneficiamento em Conceição do Mato Dentro e Alvorada de Minas, em Minas Gerais; o maior mineroduto do mundo com 525 km de extensão e que atravessa 32 municípios mineiros e fluminenses; e o terminal de minério de ferro do Porto de Açu, no qual a Anglo American é parceira da LLX com 49% de participação, localizado em São João de Barra (RJ).

Atualmente, cerca de 9.500 trabalhadores atuam nas obras. Na fase de operação, serão criados 1.300 empregos diretos e 3.500 indiretos em Minas Gerais e no Rio de Janeiro.