Imprensa

Share page on

Resultado Anual 2010

Anglo American anuncia lucro operacional de $12,0 bilhões e dobra o lucro operacional para $9,8 bilhões

Os resultados financeiros são impulsionados pelo sólido desempenho operacional e preços mais altos.
• Lucro operacional do grupo(1) de $9,8 bilhões ($9,1 bilhões de operações centrais(2)).
• Lucros subjacentes(3)de $5,0 bilhões e lucro por ação subjacente de $4,13, um aumento de 93%.
• Lucro atribuível a acionistas de $6,5 bilhões.
• Endividamento líquido(4) reduzido para $7,4 bilhões em 31 de dezembro de 2010.

Excelência operacional e cumprimento estratégico.
• Benefício de $3,0 bilhões ($2.5 bilhões de operações centrais) obtido da otimização de ativos e programas de compras, superando a meta de $2 bilhões (5) até o final de 2011:
- Otimização de ativos: $1,8 bilhão (de operações centrais), incluindo benefícios únicos.
- Compras: $0,7 bilhão (de operações centrais)
• Sólidos desempenhos de produtividade:
- Aumento da produtividade de mineração de Kumba de 11%.
- Aumento da produtividade da mina de exportação de carvão metalúrgico de 48% desde 2008.
• Transformação do negócio de platina - custos operacionais de caixa controlados abaixo da inflação aumento de 23% na produtividade da mão-de-obra desde 2008 e meta de produção superada de 2,6 milhões de onças.
• Receitas anunciadas de $3,3 bilhões (6) de alienações de negócios não centrais, incluindo:
- $1,3 bilhão com a venda do negócio de zinco.
- $0,9 bilhão com a venda da Moly-Cop e AltaSteel.
• Combinação da Tamac e Lafarge Negócios  do Reino Unido vão criar uma empresa líder de materiais de construção na Grã-Bretanha.

Crescimento de volume no médio prazo de 50%(7) até 2015 impulsionado por diversos projetos importantes.
• Projeto de produção de 36 ktpa de níquel de Barro Alto - primeira produção em março de 2011, dentro do cronograma.
• Expansão da produção de 200 ktpa de cobre de Los Bronces dentro do cronograma para primeira produção no 4a trimestre de 2011.
• Projeto de produção de 9Mtpa de minério de ferro de Kolomela 81% concluído, dentro do cronograma para a primeira produção no final do 2o. trimestre de 2012.
• Projeto de produção de 26.5 Mtpa de minério de ferro da Minas Rio - progresso signficativo realizado, com importantes licenças concedidas e acordo de tarifas portuárias de longo prazo garantido.

Carteira de projetos de $70 bilhões com potencial de dobrar a produção'7' no decorrer da próxima década.
• Dois importantes projetos novos a serem aprovados. Quellaveco (produção de 225 ktpa de cobre) e Grosvenor (produção de 4,3 Mtpa de carvão metalúrgico).
• Expectativa de aprovação de $16 bilhões em projetos nos próximos três anos.

Desempenho de segurança.
• Redução de 68% no número de fatalidades desde o início de 2007.
• Redução de 51% nos índices de acidente com afastamento desde o início de 2007.
• Meta de 'zero lesão' avançando.

Dividendo
• Dividendo final de $0,40 por ação, levando o total de dividendos para o ano para $0,65 por ação.

 

NÍQUEL


$ milhões

Exercício finalizado em

Exercício finalizado em

(exceto onde de outra forma indicado)

31 Dez 2010

31 Dez 2009

Lucro operacional

96

2

EBITDA

122

28

Ativo operacional líquido

2.334

1.787

Gastos de capital

525

554

Participação do lucro operacional do Grupo

1%

0,04%

Participação dos ativos operacionais líquidos do Grupo

5%

5%

A Níquel gerou um lucro operacional de $96 milhões, após um ano de bons aumentos no preço do níquel.
O lucro operacional do Níquel foi apresentado líquido de $11 milhões em custos relacionados com o desenvolvimento de projetos não aprovados, um aumento de $10 milhões se comparado com o exercício de 2009. 

Mercados

Preço médio (c/lb)

2010

2009

Preço médio do mercado (LME, à vista)

989

667

Preço realizado médio

986

668

O preço médio do níquel foi 48% superior ao de 2009, sustentado pela forte demanda por aço inoxidável. O consumo mundial de níquel aumentou 12% para 1,48 Mt in 2010, enquanto a oferta permaneceu restrita devido a ações de greve e demora de novos projetos em vários produtores. 
Partindo do ponto mais baixo em fevereiro, de $7,73/lb, os preços subiram claramente até atingirem o ponto mais alto do ano, de $12,52/lb em abril, como resultado de fatores fundamentais subjacentes e também da reestocagem de aço inoxidável. Os preços tiveram queda para $8,14/lb em junho, devido a preocupações quanto ao impacto das crises de dívidas européias, porém recuperaram-se durante o quarto trimestre, terminando o ano em $11,32/lb.
Os estoques da LME decresceram 18% partindo do ponto alto de 166.000 toneladas no início de fevereiro, até 136.000 toneladas ao final de dezembro, o que é indicativo da demanda subjacente por níquel. 

Desempenho operacional

 

2010

2009

Produção atribuível de níquel (t)

20.200

19.900

A produção de níquel aumentou 2%, para 20.200 t, em 2010, principalmente devido aos melhores níveis de produção em Loma de Níquel. Os custos gerais da unidade foram 7% acima do observado em 2009. 
A Loma de Níquel produziu 11.700 t de níquel, um aumento de 13% comparado com 2009, quando a produção foi impactada pela não renovação da licença ambiental para disposição da escória de fundição em janeiro, e por um escorrimento de metal em maio no forno elétrico N.º 2 da operação, o que paralisou a produção pelo restante do ano. Apesar das operações terem sido reiniciadas no forno reconstruído, em março de 2010, a produção teve um severo impacto até agosto devido ao racionamento de energia imposto pelo governo venezuelano, o que resultou em perda de produção de aproximadamente 2.400 t. 
Os custos operacionais da unidade da Loma, na proporção de $5,83/lb, foram 12% menores que em 2009. Os principais fatores na redução foram o alto volume de produção e a desvalorização, em 50%, do bolívar venezuelano, parcialmente compensada pela alta inflação local.
Devido à incerteza sobre a renovação das três concessões de mineração, que não foram canceladas mas que expirarão em 2012, e sobre a renovação de treze concessões que foram canceladas em 2008, encargos de depreciação no valor de $73 milhões foram registrados contra as propriedades de mineração da Loma de Níquel.  Isto foi reconhecido como um item operacional extraordinário. Favor referir-se à Nota 5 das demonstrações contábeis condensadas.
A produção ano a ano na Codemin teve um decréscimo de 11%, ou 1.000 t, principalmente devido à planejada reforma de um dos fornos no último trimestre do ano. A produção também foi negativamente afetada pelo menor grau.  

Veja o PDF completo deste Press Release (ingles) [465 Kb] >>